quarta-feira, 5 de junho de 2013

CONCEITO DE CARÁTER segundo alguns teóricos.


CONCEITO DE CARÁTER segundo alguns teóricos.
Etimologicamente, caráter significa “coisa agravada” (do grego charasso = eu gravo). É, pois, a marca, o cunho próprio, o distintivo.

“A escolha do termo foi muito feliz, lembra GEENEN: assim como o cunho dá valor as moedas, mais do que o metal de que são feitas, assim também do caráter depende o valor do indivíduo Humano. Tal como o cunho faz conhecer a moeda, assim o caráter é o retrato moral da pessoa. Como o relevo da moeda pode estar em maior ou menor realce, assim há caracteres apagados e caráter bem pronunciados. Como o uso gasta o cunho das moedas, pela fricção contínua, assim a convivência social tende ao nivelamento dos caracteres”

Eis algumas das principais definições de caráter:
1.      “É a forma geral de reação do indivíduo em face do meio”
2.      “É o conjunto de dados, de elementos que distinguem um indivíduo de todos os outros.”
3.      “São as marcas próprias de um ser.”
4.      LALANDE: “É o conjunto das maneiras habituais de sentir e de reagir que distinguem um indivíduo de outro”

Síntese de resumo:

O Caráter
CONCEITO DE CARÁTER
ü  É a forma geral de reação do individuo
ü  É o conjunto de todos os dados que distinguem um indivíduo de outro.
DIFERENÇA ENTRE TEMPERAMENTO E CARÁTER:
ü  O temperamento é inato, o caráter é adquirido.
ü  Aquele depende da constituição orgânica do indivíduo; este depende das influencias do meio, da educação, etc.

CLASSIFICAÇÃO DE CARACTERES:
1)      Classificação de TEOFRASTO
2)      Idem de RIBOT
3)      Idem de ADLER.

FORMACAO DO CARÁTER:
ü  Idem da alimentação
ü  Idem da saúde
ü  Idem do meio social
ü  Idem dos acontecimentos.
TEMPERAMENTO E CARATE RACIAIS
ü  Raça preta: é sobretudo emocional e vive do presente;
ü  Raça branca: é sobretudo intelectual e vive do futuro;
ü  Raça amarela: é sobretudo volitiva e vive voltada para o passado;

APLICAÇÕES PEDAGÓGICAS:

ü  Educação do caráter:  a família precisa se implicar e envolver-se na educação dos filhos. A escola precisa ocupar-se da educação do caráter de seus alunos.
ü  Temperamento e educação: o mestre precisa conhecer bem o aluno, para tratá-lo segundo sua natureza.

DIFERENÇA DAS PRINCIPAIS DEFINIÇÕES DE CARÁTER:

Conforme acabamos de ver pelas definições dadas, é ainda bastante oscilante o conceito de caráter, e mais difícil ainda é a sua diferenciação do que seja temperamento.
Em termos gerais, podemos dizer que “o temperamento é inato e o caráter é adquirido; o temperamento depende da constituição orgânica do indivíduo, o caráter depende das influencias do meio, da educação, etc.”.

Em outras palavras: - caráter é forma de ação; temperamento é a causa dessa ação , ou melhor, é um dos fatores que levam o indivíduo a agir de determinada forma.

Diz DWELSHAYVERS: - “O temperamento é o fundo biológico que serve de base  á formação do caráter”.

Ao que se acrescenta a palavra de KRETSCHMER: - “Quando nos referimos a alegre, irritável, móvel, rígido, teimoso, pensamos no temperamento: todos esses qualificativos exprimem propriedades elementares – colorido psíquico, intervenção do sistema nervoso na vida psíquica, grau, ritmo. Ao contrário, nos qualificativos fiéis, gracejador, correto, intrigante, desconfiado, sem escrúpulos, vemos que tais propriedades biológicas fundamentais, mas resultam da mistura de muitas particularidades deste gênero, bem como de reações recíprocas entre elas e o ambiente”.

Filósofo argentino INGENIEROS:- “O temperamento é o conjunto das tendências congênitas, anteriores à experiência individual. É a predisposição inicial para sentir e reagir de uma maneira determinada a influencia das inumeráveis causas físicas e sociais que atuam sobre o indivíduo. O caráter é o resultado da variação  do temperamento, mediante a experiência pessoal em cada momento da sua evolução e que se manifesta pela conduta”.

 TEMPERAMENTO E CARÁTER RACIAIS
Mas não somente os indivíduos que se distinguem entre si pelos seus dotes de temperamento e caráter. Também as raças humanas, os povos e os grupos regionais menores possuem caráter e temperamento próprios. Eis, a respeito, os caracteres diferenciais apontados por GEENEN:

a)      RAÇA PRETA – Tem sua vida psíquica voltada par o presente. Essa atividade psíquica é singularmente par o presente. Essa atividade os psíquica é singularmente restrita. A vida  moral e afetiva é móvel e superficial. As suas emoções são vivas, porem de curta duração os fenômenos volitivos ou ativos da raça negra  se caracterizam pela
Abundancia de reflexo e impulsos momentâneos, e sem que intervenha uma vontade forte. A conduta do negro é explosiva e caótica.

b)      RAÇA BRANCA – O branco se preocupa continuadamente com o futuro. Sua ambição reclama gozos futuros: desejam-se triunfos futuros. O sentimento paterno e materno suscita o desejo de uma sorte melhor pra os filhos. A fé religiosa espera uma recompensa no outro mundo. Os brancos utilizam a experiência do passado para melhorar o povir. Há sempre a esperança de “melhores dias”. Estamos sempre a fazer planos para amanha, para daqui a um ano, para quando tirarmos uma sorte grande na loteria... Os brancos são, sobretudo intelectuais: vivem mais da inteligência, do raciocínio, da ciência e da técnica que as demais raças.

c)      RAÇA AMARELA – Os amarelos vivem no passado. Toda sua vida psíquica gira em redor do culto antepassado. Suas tradições tem uma forca inabalável. Para eles, os espíritos dos mortos continuam dirigir e tomar conta dos vivos. Esses apegos ao passado lhes tia grande parte da atividade, porque não compreendem a necessidade de “progredir” que tanto domina os brancos... Prudência, cautela, calma, dissimulação de seus pensamentos – são outras tantas qualidade de caráter dos amarelos, cuja vontade é, assim, mais desenvolvida que nas outras raças.
Muitos autores propõem, como teste para avaliação  do caráter, provas de múltipla escolha, do tipo seguinte: dá-se  ao individuo a frase abaixo e pede-se que ele escolha a resposta mais adequada, na sua opinião.

TESTE DE CARÁTER: 

Se você encontrasse uma carteira cheia de dinheiro na rua, o que faria?
a)      Ficaria com ela
b)     Jogaria fora
c)      Entregaria à polícia
d)     Guardaria o dinheiro e jogaria a carteira fora
e)      Procuraria descobrir o dono para restituí-la
f)       Se não encontrasse o dono, compraria coisas para mim
g)      Se não encontrasse o dono, daria todo dinheiro aos pobres.


TÓPICOS PARA DEBATE:

1)      Qual a diferença entre temperamento e caráter?
2)      Quais os o fatores que concorrem na formação do caráter?
3)      Mostre algumas diferenças de temperamento e caráter entre as raças preta, branca e amarela?
4)      Citar quatro características do temperamento esquizotímico ou introvertido?
5)      Citar quatro característicos do temperamento ciclotímico ou extrovertido?

CLASSIFICAÇÃO DOS CARACTERES: 

Foi TEOFRASTO (371/264 A.C), discípulo de ARISTÓTELES, o primeiro filosofo a propor uma classificação dos caracteres, apresentando sua obra “Os Caracteres”, no ano 319
A.C. TEOFRASTO enumera e descreve numerosos caracteres, entre os quais: o irônico, o lisonjeiro, o rústico, o falador, o oratório, o abjeto, o gozador, o boateiro, o calorento, o egoísta, o bufão, o intempestivo, o apressado, o cacete, o dispersivo, o nobre, o ostentador, etc.

CLASSIFICAÇÃO DE RIBOT. – THEODULE RIBOT (1839/1916), sem dúvida nenhuma o maior vulto da Psicologia francesa em fins do século passado e princípios deste, soube dar a esta ciência seu aspecto novo: pratico e experimental.

RIBOT preliminarmente exclui da classificação o elemento inteligência, pois como demonstra, as faculdades intelectuais nada têm a ver com o caráter. Tanto assim que podem e, inversamente, pessoas de muito caráter com muita inteligência ou sem inteligência nenhuma. A seguir, considera dois elementos fundamentais como base de classificação dos caracteres: A unidade, isto é, a coerência das tendências, e a estabilidade, isto é, a continuidade, a coerência das tendências no tempo.

RIBOT separa assim dois grupos de caracteres: os que não têm unidade nem estabilidade (os anormais), e os que possuem aqueles que dois elementos. Os anormais se subdividem em amorfos e instáveis.
Segundo RIBOT separa os indivíduos instáveis são:
Os que sucessivamente se mostram inertes e explosivos; “são incertos e desproporcionados nas suas reações, agindo da mesma maneira em circunstancias diferentes e diferentemente em circunstâncias idênticas”.

Os caracteres normais compreendem 3 grupos:
·         Os sensitivos
·         Os ativos
·         E os apáticos.

CARACTERES SENSITIVOS. – São aqueles que predominam o sentimento. São muitos impressionáveis e tem mais vida interior que exterior. Compreendem os pessimistas, os humildes, os tímidos, os contemplativos e os emotivos.

CARACTERES ATIVOS. - São aqueles em que predomina a ação. Tem mais vida exterior que interior. São otimistas, alegres, empreendedores. Podem ser subdivididos em “muito ativos” e “medianamente ativos”. Entre os “medianamente ativos” se obtém bons soldados, navegantes, esportistas, comerciantes, industriais. Entre os “muito ativos” estão catalogados os líderes do povo, os chefes, os grandes generais.

CARACTERES APÁTICOS. – São aqueles que manifestam pouco sentimento e pouca atividade. “Sob sua forma pura, o apático tem por cunho próprio a inércia, a indiferença.”
CARACTERES MISTOS. – É possível considerar ainda um quarto grupo de caráter, formado pela mistura dos dois primeiros, caso em que teremos os “sensitivo-ativos”.

RIBOT classifica entre o ativo CÉSAR, S. FRANCISCO DE ASSIS, ALEXANDRE, LUTERO, NAPOLEÃO. Entre os sensitivos todos os grandes artistas, tais como MIGUEL ANGELO OU CHOPIN. Entre os apáticos estão colocados os estoicos, os mártires da religião.

CLASSIFICAÇÃO DE ADLER. - O psicólogo ALFRED ADLER (nascido em 1870), companheiro de JUNG e, como este, discípulo de FREUD, formulou uma complexa classificação dos caracteres, em seu livro “O Conhecimento do Homem” a qual reproduzirei a seguir:

1.   Segundo o grau de sentimento de coletividade.
(A) tipos agressivos (falta de sentimento de coletividade)
a) o colérico
b) o vaidoso: aristocratas, dantis, críticos, espíritos de contradição, amáveis e serviçais.
c) o ciumento
d) o invejoso
e) o recalcado: a solteirona, a geração antiga, a sogra, o apostolo, etc. (são os “ressentidos”).
f) o avaro
g) o misantropo
h) o malcriado                  reações indômitas
i) o sujo

(B) Tipos disjuntivos (falta de sentimento de coletividade).
a) o tímido: orgulhosos, agressivos, irônicos, humildes.
b) o tímido sexual (“complexo de Amil”)

(C) Tipos conjuntivos (presença do sentimento de coletividade)
a) os alegres
b) os compassivos
c) os generosos

2.   Segundo a qualidade da reação caracterológica:

(A)  Tipos superiores
a)      Os dignos ( a vergonha)
b)      Os equânimes ( a serenidade)
c)      Os espíritos de mando ( o domínio)

(B)   Tipos inferiores
a)      Os espíritos de submissão
b)      Os perturbadores da paz
c)      Os pedantes
d)      Os espíritos infantis
e)      Os maníacos
f)       Os agourentos.





































Fecundação Os primeiros registro da matriz de todos os sentimentos de rejeição ou amor é vivido pelo ser humano, tem sua primeira experiência na FECUNDAÇÃO Por isso é necessário que a gestação seja regada de sentimentos de amor e acolhimento. Esse registro será determinante para que a pessoa apresente em sua vida características e comportamentos para toda sua vida.
Postar um comentário