sábado, 19 de maio de 2018

Tipos de clientes importantes

Quer falar comigo? Meu whatsapp: http://bit.ly/MeuWhatsAppKatiaRumbelsperger


















Fecundação Os primeiros registro da matriz de todos os sentimentos de rejeição ou amor é vivido pelo ser humano, tem sua primeira experiência na FECUNDAÇÃO Por isso é necessário que a gestação seja regada de sentimentos de amor e acolhimento. Esse registro será determinante para que a pessoa apresente em sua vida características e comportamentos para toda sua vida.

Churrascaria Tozzoni

http://bit.ly/MeuWhatsAppKatiaRumbelsperger













 Fecundação
Os primeiros registro da matriz de todos os sentimentos de rejeição ou amor é vivido pelo ser humano, tem sua primeira experiência na FECUNDAÇÃO

Por isso é necessário que a gestação seja regada de sentimentos de amor e acolhimento.

Esse registro será determinante para que a pessoa apresente em sua vida características e comportamentos para toda sua vida.

quinta-feira, 17 de maio de 2018

Vencendo todas as batalhas


Só não perco o caráter e minha personalidade.

Foram diversos desafios que passei com ganhos e perdas, que adquiri imunidade para continuar VENCENDO TODAS AS BATALHAS 😍

É muito difícil caminhar, muitos entraves, pedras grandes e pequenas, vou tirando tudo do caminho, não há barreiras para quem tem fé e acredita em Deus.

Não olho para trás.

Aliás! Só olho para traz quando estou dirigindo, logo, volto meu olhar para frente para evitar os desastres emocionais.

Jogo fora os lixos emocionais, limpo a gaveta do meu cérebro e.os dentes do meu cérebro mastiga tudo que é ruim que sai do meu corpo vai parar no lugar que é devido.






Fecundação Os primeiros registro da matriz de todos os sentimentos de rejeição ou amor é vivido pelo ser humano, tem sua primeira experiência na FECUNDAÇÃO Por isso é necessário que a gestação seja regada de sentimentos de amor e acolhimento. Esse registro será determinante para que a pessoa apresente em sua vida características e comportamentos para toda sua vida.

Rejeição - Você tem medo dela?






Rejeição - Rejeição - Você tem medo dela?

Você precisa aprender lidar com a rejeição, se realmente for rejeição, acabar com seus temores e conflitos, parar de viver se preocupando com aquilo que pode não ser real  e pode ser fruto da sua imaginação.



Significado de Rejeitar

verbo transitivo
  • Atirar, arremessar.
  • Lançar fora.
  • Não admitir, recusar: os anticorpos rejeitam o enxerto.
  • Opor-se a: rejeitar a tributação.
  • Lançar de si: o estômago rejeitou o remédio.
  • Recusar; repelir.
  • Deixar de aprovar: rejeitar um projeto de lei.

Sinônimos de Rejeitar

Rejeitar é sinônimo derenuirrepudiarrepelirrenunciarrenegarrecusarnegardesaceitar,declinarabdicarrefutar

https://cristianonabuco.blogosfera.uol.com.br/2015/03/18/rejeicao-o-que-voce-deveria-saber/

Rejeição é o processo e a consequência de rejeitar (resistir, negar ou recusar). Ao manifestar rejeição para com algo, deixa-se em evidência que não se o aceita ou tolera.

Registros familiares

O núcleo familiar exerce uma influencia e um impacto no desenvolvimento da ansiedade social. 

Estudo realizado com mais de 100 crianças peal Universidade de Maryland. Foi realizado o exame eletroencefalograma para monitorar a atividade cerebral elétrica e revelou uma conexão entre a ansiedade social e o medo de cometer erros e ser julgado.


A rejeição social, por sua vez, está relacionada com a discriminação. 
A pessoa rejeitada é isolada, posta de lado ou excluída de um determinado ambiente por algum tipo de característica (religião, orientação sexual, nacionalidade, raça, condição social, etc.).
http://www.eftbrasil.com.br/artigo/autoestima/o-impacto-da-rejeicao-na-autoestima/

https://www.youtube.com/watch?v=uPaKLXFnrA4


O medo de ser rejeitado produzem em algumas pessoas uma grande ansiedade, pânico e depressão.

Em certas pessoas a rejeição causa tão grande ansiedade que ficam paralisadas na hora de interagir socialmente. Na verdade o que será que acontece?

Na maioria das vezes o registro foi feito na gravidez, isso mesmo!

É muito importante que a gestante tenha conhecimento que os aborrecimentos, ansiedade, tristeza, depressão podem passar suas emoções para o feto.

Fecundação Os primeiros registro da matriz de todos os sentimentos de rejeição ou amor é vivido pelo ser humano, tem sua primeira experiência na FECUNDAÇÃO Por isso é necessário que a gestação seja regada de sentimentos de amor e acolhimento. Esse registro será determinante para que a pessoa apresente em sua vida características e comportamentos para toda sua vida.

Você tem medo de:
Convidar auguem para sair, e receber um não?
De ir a uma festa?
De expressar sua opinião?
Enfrentar uma entrevista?
Exercer alguma atividade e ser avaliado?



Para muitas pessoas essas atividades são consideradas normais e para outras pessoas gera uma grande ansiedade.
Você precisa compreender que não é TIMIDEZ ou FALTA DE INTERESSE, posso dizer que esse sintoma é conhecido como  ANSIEDADE (FOBIA SOCIAL).

Fobia Social é um transtorno muito comum entre as pessoas.
É um transtorno psicológico caracterizado pelo medo excessivo que a pessoa tem para participar das atividades sociais.

A fobia social colabora para pensamentos negativos, é um distúrbio  que transmite mal-estar físico e emocional, são pessoas que por muitas vezes imaginam uma situação social.

A fobia social pode também ter sua origem nos anos iniciais da vida do sujeito e nos anos seguintes com suas histórias não resolvidas, experiências negativas e hereditárias.

Outros exemplos:

  • Pais superprotetores e rígidos na infância
  • Núcleo familiar abusivo
  • Falta da presença materna e paterna
  • Educação rígida
  • Bullying familiar 
  • Bullying na escola
  • Rejeição por críticas ou pela falta de afeto ao longo da vid
  • Pais separados ou ausentes contribuem com sentimento de rejeição
  • Hereditariedade quando outros membros da família sofrem de fobia social ou transtorno de ansiedade. 
  • Pais que impedem as crianças se desenvolver em seu repertório social
  • Pais que colocam seus bebes em cercadinhos (chiqueirinho).


http://viversemvergonha.com/chiqueirinho-para-bebe-como-usar-e-quais-beneficios-ele-proporciona/


Segundo a psicóloga Ana Merzel Kernkraut, coordenadora da área de psicologia do Hospital Albert Einstein (SP), o cercadinho, quando utilizado com parcimônia, é útil para os pais e não atrapalha os pequenos. “Por exemplo, quando a mãe precisa fazer algo na cozinha e o bebê não pode estar por perto porque corre o risco de se machucar, o cercadinho funciona como meio de entretenimento para essa criança. Assim, naquele momento, ela está protegida e entretida”, diz. Ou seja, se você se sentir mais segura com o cercadinho em situações de risco, vale usar esse recurso, mas lembre-se que é só de vez em quando e por pouco tempo.
As pessoas que sofrem de ansiedade social é porque  antecipa o julgamento, avalia situações negativamente  e projeta a rejeição que sofre de si mesma nos outros.

A pessoa que sofre de ansiedade social ,perde seu repertoria, sua vida e se isola.

E vai caminhando com esse quadro na vida profissional e pessoal, trazendo prejuízos.

Na vida profissional não consegue se expressar com seus amigos, colaboradores, líderes, em reuniões permanecem calados e desconhecem sua capacidade.

Sua carreira profissional fica afetada e ele sem saber afeta todos ao seu redor.

A rejeição afeta a vida emocional, profissional e pessoal da pessoa. Quem sofre de rejeição não  consegue dar continuidade aos projetos e iniciativas, abandona, os círculos de amizades,  a escola, a faculdade e o emprego. A pessoa considera-se incapaz de conquistar quaisquer projetos.

1. Separar a rejeição do rejeitado
A rejeição é apenas um tipo de critério de alguém a respeito de outra pessoa, que por acaso pode ser você: “Não é pessoal, ainda que pareça, pois ela não tem pleno controle de quem vá gostar. A outra pode até ser uma boa pessoa e desejável, mas para aquela não causa nenhum impacto”, ilustra Frederico Mattos. 

2. Exercite a autoestima
Não se permita esquecer o seu valor e suas qualidades. Não é porque uma pessoa não gostou de você que todas as outras não vão gostar. A autoestima muitas vezes está relacionada à aceitação amorosa e é preciso avaliar muito bem o que realmente é preciso mudar e o que é apenas a opinião do outro. 

3. Respeite a não correspondência
“Algumas pessoas tem dificuldade de tolerar não serem correspondidas, como se aquilo fosse um ataque pessoal. É como se o alvo de sua paixão fosse obrigado a responder positivamente seus sentimentos. Mesmo num relacionamento de longa duração, as vidas e as personalidades podem tomar rumos diferentes e aquilo que motivava inicialmente a união se perde no meio do caminho”. 

4. Encare a tristeza
Aceite lidar com a tristeza e entenda que aquelas esperanças depositadas passarão por um processo natural de diluição até se recomporem. Fugir da dor é só um jeito de prolongar o processo. 

5. Siga a própria vida
O psicólogo Frederico Mattos sugere: “Redirecionar aquele desejo, amor e carinho para outras fontes saudáveis, como pessoas acolhedoras e queridas, é um bom jeito de lentamente obter nutrição emocional sem a pressão por novas tentativas amorosas” 

6. Mantenha-se em movimento
Exercícios físicos e atividades agradáveis têm o poder de te fazer enxergar a vida por outro ângulo e sair da espiral de sofrimento. Mais do que uma dica, tome como uma regra: nada de ficar sozinha em casa chorando ou se martirizando. Faça um esforço e se movimente – com certeza isso vai ajudar a arejar as ideias.

7. Faça uma seleção melhor no futuro
De acordo com Frederico, um trabalho de autoanálise também é fundamental: “Repense os próprios critérios para entender se as pessoas pelas quais você se apaixona costumam ser indisponíveis ou inacessíveis demais. Tente compreender se existe uma disposição efetiva para ser amada ou se, no fundo, você só está criando um ciclo de rejeição”. 

8. Inverta as posições
Lembra-se daquela vez que você também rejeitou alguém bacana? Provavelmente você já passou por uma situação em que uma pessoa que parecia interessante não te tocou profundamente. Resgatar essa situação possivelmente vai te ajudar a perceber que essas coisas, infelizmente, acontecem.
https://www.dicasdemulher.com.br/como-lidar-com-a-rejeicao-nos-relacionamentos/



Curtam, comentem e compartilhem...?
Amigos e amigas compartilhem com seus contatos do
WhatsApp, Linkedin, Facebook, Instagram...



Muito agradecida por chegarem até aqui. 
Abraços.

Fecundação Os primeiros registro da matriz de todos os sentimentos de rejeição ou amor é vivido pelo ser humano, tem sua primeira experiência na FECUNDAÇÃO Por isso é necessário que a gestação seja regada de sentimentos de amor e acolhimento. Esse registro será determinante para que a pessoa apresente em sua vida características e comportamentos para toda sua vida.

segunda-feira, 14 de maio de 2018

Churrascaria Tozzoni



Entrevista com a proprietária Juliana, lidere e gestora da Churrascaria Tozzoni em Nova Friburgo/RJ



Quando for visitar Nova Friburgo, almoce e jante na Churrascaria e seja bem atendidos.





 Fecundação
Os primeiros registro da matriz de todos os sentimentos de rejeição ou amor é vivido pelo ser humano, tem sua primeira experiência na FECUNDAÇÃO

Por isso é necessário que a gestação seja regada de sentimentos de amor e acolhimento.

Esse registro será determinante para que a pessoa apresente em sua vida características e comportamentos para toda sua vida.

quinta-feira, 10 de maio de 2018

O que grandes líderes e executivos perguntam em entrevistas de emprego






O que grandes líderes e executivos perguntam em entrevistas de emprego


Elas podem ser as mais intrigantes possíveis ou, também, podem repetir os conhecidos clichês, como “Me conte mais sobre você” ou “Qual seu maior defeito? ”


http://www.empregos.com.br
SUCESSO COM GRANDES LÍDERES PREFEREM FUGIR DAS PERGUNTAS COMUNS.
Google, Facebook e Apple são algumas das companhias conhecidas pelas questões intrigantes feitas e que fazem com que o candidato realmente pense muito para responder.
Ficou curioso? O Fórum Econômico Mundial selecionou algumas das perguntas que são feitas por grandes executivos em entrevistas de emprego.
Confira:
O que você não teve a chance de incluir no currículo? – Richard Brenson, fundador do Virgin Group
O bilionário escreveu que um currículo é importante, mas “se fosse para contatar alguém com base no que ele diz sobre si mesmo no papel, você não precisaria perder tempo em uma entrevista”.
Em uma escala de 1 a 10, quão estranho você é? – Tony Hsieh, CEO da Zappos
Um dos principais valores dessa empresa é “criar diversão e um pouco de esquisitice”. Para ter certeza de que o candidato contratado é o certo, o CEO normalmente faz essa pergunta e diz que o número não é importante e sim a maneira como a pessoa responde.
Me dê um exemplo de uma época em que você analiticamente resolveu um problema difícil – Laszlo Block, diretor de RH do Google
Ele também afirmou que a companhia começou com suas famosas perguntas de quebra cabeças nos últimos anos para questões comportamentais. “O interessante sobre a entrevista é que os candidatos sempre contam sua própria experiência e dentro disso, você consegue dois tipos de informação. Uma é ver como eles reagem a uma situação real e a informação valiosa é um senso do que eles consideram difícil”, disse em entrevista ao New York Times.
Quantos anos você tinha quando conseguiu seu primeiro emprego remunerado? – Hannah Paramore, presidente da agência de Publicidade Paramore
Ela explicou que faz questão de buscar saber o quanto os candidatos colocam de ética em seu trabalho, contrapondo com seus direitos. E que pessoas que trabalham por meio período no colégio ou faculdade por necessidade, principalmente em empregos difíceis, mostram um alto nível de responsabilidade.
Richard Onde você estava? – Elon Musk, CEO da Tesla
Segundo a nova biografia de Musk, ele sempre começa a pergunta contando: “Você está na superfície da Terra. Você anda um quilômetro sul, um quilômetro oeste e um quilômetro norte. Você termina exatamente onde começou. Onde você estava?”. A resposta é: ou no Polo Norte ou próximo do Polo Sul. Ele fez a mesma pergunta a quase todos os mil primeiros contratados da SpaceX, empresa de exploração espacial.
Qual seu superpoder… ou espírito animal? – Ryan Holmes, CEO da HootSuite
Durante a sua entrevista, eu perguntei à minha atual assistente executiva qual era seu animal favorito. Ela me disse que era um pato, porque patos são calmos na superfície e apressados para fazer tudo ficar pronto por dentro, ele disse. “Eu achei uma resposta maravilhosa e a descrição perfeita para o papel de uma assistente executiva”.
Qual sua prática espiritual? – Oprah Winfrey
Quando estava buscando o presidente de seu canal de televisão, Oprah reduziu os candidatos com essa pergunta que deixou muitos desconfortáveis. Posteriormente, a apresentadora explicou que não estava perguntando sobre religião, mas sim sobre as relações que possuíam consigo mesmos. A intenção era descobrir o que eles faziam por si mesmos.
O que você faria em um apocalipse zumbi? –  Ashley Morrys, CEO da Capriotti’s Sandwich Shop
Segundo a CEO, essa é a melhor maneira de saber como os candidatos reagem sob pressão. “Não existe uma resposta certa, então é interessante descobrir a opinião de alguém e como eles pensam sobre seus pés”, explicou.
Um martelo e um prego custam US$ 1,10 e o martelo custa um dólar a mais do que o prego. Quanto o prego custa? – Jeff Zwelling, CEO e cofundador da Convertro
A pergunta é feita, segundo o CEO, para ter um melhor senso de quem é o candidato. “Alguns candidatos vão instantaneamente dizer 10 cents, mas isso está errado. Eles não tentam ter uma resposta exata, o que é cinco centavos, mas quero que eles ao menos tenham um pensamento sobre isso”.
Se você trabalhasse em um restaurante, qual emprego ia querer ter? – Ajeet Singh, CEO e fundador da ThoughtSpot
É uma pergunta que dá muita informação sobre os candidatos e extremamente útil. “A pergunta chega na essência do que guia uma pessoa e o que eles gostam de fazer, o que os inspira, o que os motiva”, ele disse. “Eu quero ver se consigo percepções não convencionais do que as pessoas são”.
Me diga algo que é verdade, que quase ninguém concorda com você – Peter Thiel, cofundador do PayPal. Ele gosta de contratar pessoas que não têm medo de dizer o que pensam, “Ela testa a originalidade do pensamento, e para alguma extensão, testa a coragem de ter voz própria em um contexto difícil”, explicou.
















Os primeiros registro da matriz de todos os sentimentos de rejeição ou amor é vivido pelo ser humano, tem sua primeira experiência na FECUNDAÇÃO Por isso é necessário que a gestação seja regada de sentimentos de amor e acolhimento. Esse registro será determinante para que a pessoa apresente em sua vida características e comportamentos para toda sua vida.

Existe mesmo uma comunicação do feto com sua mãe? Porque a gente já ouvia falar nisso como algo esotérico, místico. Hoje a ciência já pode comprovar esta comunicação?


Entrevista do Dr. José Raimundo Lippi - Professor de Psiquiatria da Infância e da
Adolescência do Departamento de Psiquiatria e Neurologia da UFMG - ao Jornal Estado deMinas / Dr. Raimundo Lippi foi Professor de Psicanálise Clínicado C.O.R.P. O em Brasília-DF

EM
Existe mesmo uma comunicação do feto com sua mãe? Porque a gente já ouvia falar nisso como algo esotérico, místico. Hoje a ciência já pode comprovar esta comunicação?

Raimundo- Pode e eu posso citar nomes de cientistas e de laboratórios onde isto vem sendo comprovado. Na verdade, há mais de mil anos , a China organizou suas clínicas pré-natais porque acreditava-se que as crianças, dentro do útero, sofriam influências da mãe.

Muitas coisas viraram mito, como por exemplo mulheres grávidas não poderem levar sustos, não poderem se aproximar do fogo etc. se formos percorrer a Bíblia ou os livros de Hipócrates, já se falava em uma vida intra-uterina.

Quem falou disso primeiro, com muita certeza, foi um artista, Leonardo da Vinci, em cujos escritos estão: “Uma mesma alma governa dois corpos. As coisas que a mãe deseja imprimem-se na criança que ela traz no útero. 

Todo querer, todo desejo supremo da mãe, toda dor, todo medo, pode atingir poderosamente a criança e, ás vezes, mata-la". Isto Leonardo da Vinci falou a quatro séculos.

EM- Mas ele falou por intuição, sem base científica. Como é que a ciência comprova esta comunicação da mãe com o feto?

Raimundo - Nas décadas de 40 e 50, cientistas afirmavam que as emoções sentidas pela mãe repercutiam sobre a criança que ela carregava.

Podemos citar o exemplo de David Winnicott, da Universidade de Londres; Igor Caruzo, da Universidade de Salsburgo; Lester Sotang, dos Estados Unidos; Frederick Kruse, da Alemanha e Hans Graber, da Suíça. Somente em meados dos anos 60 é que a tecnologia médica permitiu comprovar muitas destas intuições.

Neurologistas como Dominick Púrpura, da Faculdade de Medicina Albert Einstein de Nova York;

Maria Salam e Richard Adams têm provas fisiológicas sólidas e irrefutáveis de que o feto é um ser capaz de reações auditivas, sensoriais e afetivas. E foi a partir daí que começou a surgir a Psicologia

Pré-natal.

EM - È este o nome que se dá a esta área?

Raimundo - Sim. É psicologia Pré-natal. Os nascituros, após esta ciência, passaram a ser compreendidos como muito mais avançados.

Por exemplo: com cinco semanas, eles têm ações reflexas muito mais complexas que podem ser vistas através de filmes. Com oito semanas, o feto tem uma linguagem gestual, ele fala com o corpo, mexe com facilidade com a cabeça, os braços, as costas e já utiliza isto como uma linguagem. Ele mostra aversão ou prazer a alguma coisa.

Sabe-se que ele detesta ser manipulado.

Com dez semanas mais ou menos, o feto se encolhe quando apertamos o estômago da mãe ou quando beliscamos a barriga dela.

Outra coisa interessante: Por que é que se percebe, ás vezes, que um bebê é um pouco agitado á noite,depois de nascido?

Porque ele viveu uma experiência dentro do útero, quando a mãe, nos últimos meses, torna-se agitada, com dores nas costas e nas pernas, com azia e dorme mal, movimentando-se muito...

EM - Eu queria saber se o feto pensa.

Raimundo - Primeiro é preciso saber o que é pensar. O pensamento varia de acordo com as etapas de desenvolvimento cognitivo. 

Uma criança de seis anos não pensa como eu penso. 

Raimundo - Exatamente. È uma generalização de sentimentos que envolve todo o corpo, que está muito impregnado das emoções da mãe. Neurologicamente falando ele não pensa porque não tem circuitos nervosos.

O que se afirma é que, a partir dos seis meses, ele pensa, tem reações de alegria, de tristeza.

Aos quatro meses, o corpo fala sob a hegemonia da face, ele já levanta as sombrancelhas, repuxa os olhos, faz caretas, pisca, franze os lábios.

Aos seis meses ele alcança a sensibilidade de uma criança de um ano de idade. Nesta fase o feto tem também paladar. Sabe-se que o líquido aminiótico é pouco doce. Se você colocar sacarina nele, o bebê adora e deglute vorazmente.

Se vocêcolocar sabores desagradáveis, ele pára de digerir e gesticula.

EM - Eu estou pensando aqui que este estudo vai mudar muito as opiniões em relação aos abortos, não é?

Raimundo - Vai mudar sim. A concepção do ser humano deve mudar muito nos próximos anos porque a sociedade é muito ciosa de que precisa de provas e documentos para dizer o que é verdade, senão fica no plano da intuição.

Embora saibamos que os idealistas foram os grandes responsáveis
pelo crescimento da ciência. Só para completar, é preciso dizer que , aos seis meses, a criança tem uma sensibilidade muito grande em relação aos barulhos...

EM - Pelo que você está me falando, toda esta comunicação se dá através da mãe, não é?

Ele ouve, sente, percebe, pela mãe. Eu ouvi outro dia um psicólogo desta mesma área dizer que até o pai que o bebê sente e percebe quando está dentro do útero, é aquele que a mãe percebe e vê. A mãe éo veículo, ela passa para o filho o pai que ela enxerga. Não é muito grande a responsabilidade da mãe?

Raimundo - É sim, é muito grande.
Mas é o preço que se paga por ser mulher e de ter o primeiro universo do homem que é o útero.

Podemos afirmar hoje, sem medo, que as muitas das experiências vividas dentro do útero são passadas para o individuo. Já se pode afirmar hoje: Bebê feliz, adulto sadio.

Não é possível ser um adulto sadio se ele na passou por uma gestação feliz. Aliás, ele pode até alcançar o equilíbrio, a saúde, mas terá que trabalhar muito para isso. Voltando á mãe, ela é a transportadora das emoções que ela viveu com o pai.

Se ela é amada pelo companheiro, se ele lhe dá segurança, o bebê, já dentro do útero, começa a levar uma vida saudável. Já gravaram vozes de pais que costumavam falar com seus filhos ainda na barriga da mãe.

Ficou comprovado depois que, após o nascimento, os pais são reconhecidos por seus filhos e se acalmam com a sua voz. A minha teoria é de que o homem sempre se engravida quando ele está comprometido com uma mulher.

Em
- O que é que o bebê já nasce sabendo?

Raimundo - Com toda a certeza , ele já nasce sabendo se é amado ou rejeitado.

Eu quero falar de um aspecto fundamental que tem a ver com este amar. Eu falei no barulho e é preciso dizer que o útero é muito barulhento: o som da barriga , o som da casa.

Mas há um som especial que é a batida do coração da mãe e que tem a ver com as emoções dela. Um coração batendo regularmente é calmo, faz o bebê se sentir seguro.

O ritmo cardíaco é muita responsabilidade da mãe porque é transmitido ao bebê durante os nove meses. Já fizeram experiência colocando uma fita gravada com o coração de uma mãe batendo em um berçário. Os bebês dormiram melhor, ficaram mais calmos sorriram.

Outra experiência: o maestro canadense Boris Brott, ao ser entrevistado certa vez, disse que seu amor pela música nasceu quando ele ainda estava no útero da mãe.

E confessou que, muitas vezes, ao executar uma peça pela primeira vez, era capaz de antecipar determinadas notas antes de virar a página. E que havia descoberto que estas peças eram tocadas pela sua mãe violoncelista quando estava grávida dele.

Em - Do que é que o bebê se lembra depois que nasce?

Raimundo - A memória, segundo Elias Canetti, um neurofisiologista de Milão, começa a partir do terceiro mês de gestação.

O doutor Púrpura, que é editor de uma revista sobre o desenvolvimento cerebral, diz que as lembranças têm a ver com o que a mulher viveu e o que o bebê pôde viver.

Você falou aí em amor. Como amar se ele não tiver sido amado ? Nos Estados Unidos foi feita uma pesquisa onde mais de 500 mulheres que faziam  pré-natal, de nível universitário, e eram bem
alimentadas. Fizeram a elas a seguinte pergunta: O que você mais pensa neste momento da sua vida?

Para surpresa dos pesquisadores, mais de um terço delas não pensavam em seus bebês. A partir desta pesquisa foram pesquisar bebês de mulheres esquizofrênicas e chegaram á conclusão de que os filhos delas têm o desenvolvimento físico, mental e intelectual danificado.

EM - É mais ou menos natural que mulheres e homens idealizem seus filhos. Isto é saudável ou pode prejudicar a criança?

Raimundo - Não existe um ser humano que não idealize seu filho. O filho já existe na imaginação de todo mundo, até antes da concepção. È saudável idealizar. Esta sensação de que o desejamos é levada até ele.

EM - Mas e quando o filho que nasce não corresponde ao filho idealizado?

Raimundo - Acontece a frustração e isto é natural.

Vou te falar de uma outra experiência para mostrar como o bebê tem consciência do pensar e do sentir da mãe...
Em - Você disse do pensar? Quer dizer que, quando estou grávida, meu bebê sabe o que estou pensando?

Como é que isto acontece?

Raimundo - Sim, claro. Duas pesquisas importantes foram feitas.

Uma delas é da professora Mônica Luckesh, da Universidade de Frankfurt. Ela entrevistou e examinou 2000 mulheres. E a conclusão a que ela chegou é que a atitude da mãe tem uma importância primordial sobre o ser que vai nascer.

As mães que rejeitavam colocaram no mundo crianças inseguras, frágeis do ponto de vista físico e emocional. Ela acompanhou estas crianças por longo tempo.

Os filhos de mães que rejeitam os bebês adoecem mais. Outra pesquisa é do doutor Gerald Rotmann, da Áustria.

Ele examinou e entrevistou 141 mulheres grávidas e as dividiu em quatro categorias em função da atitude delas diante da gravidez.
Num grupo, ficaram as mães ideais, as que revelaram desejar seu bebê conscientemente e inconscientemente.

Os partos delas foram os mais tranquilos e os bebês saudáveis. No lado oposto, ele compôs o grupo que chamou de mães catastróficas, aquelas que rejeitavam claramente seus filhos.

Eles tiveram sérios problemas durante a gravidez, registraram o maior número de abortos e pré-maturos e tiveram filhos com problemas emocionais.

O mais interessante foram os grupos intermediários, um dos quais ele denominou de mães ambivalentes. Elas proclamavam com alegria estarem grávidas mas, no fundo, não desejavam acriança. Este sentimento inconsciente de rejeição não enganou os filhos que também nasceram com problemas...

EM - Este desejo que você chama de inconsciente seria o pensamento da mãe? Seria o caso da mãe que está preparando o quartinho, comprando o bercinho e, no seu íntimo, pensando: este Bebê vai atrapalhar a minha vida? È isso?

Raimundo - É exatamente aí que entra o cognitivo, o conhecimento das coisas. Não se engana um feto. Estes bebês nasceram com problemas gastroentestinais, com problemas de pele etc.

No quarto grupo, o pesquisador encontrou o que ele chamou de mães indiferentes.

Os fetos pareciam perturbados pelas mensagens confusas que recebiam.

Existiam razões objetivas das mães para não poder engravidar, mas, no fundo, elas queriam os filhos, ou seja: conscientemente, a gravidez era indesejada, mas inconscientemente, era desejada.

Resultaram deste grupo bebê apáticos letárgicos.

Repito: o bebê não se deixa enganar dentro do útero.

EM - O que é que uma mãe não deve fazer nunca quando está grávida?

Raimundo - Ela não deve fazer o que é contra ela e, conseqüentemente, contra o bebê.

A mulher tem a responsabilidade biológica de não deixar a espécie morrer; a responsabilidade social de manter seres convivendo comunitariamente e a responsabilidade humanística de produzir seres mais saudáveis.

Não existe escola para preparar mães. Elas são formadas no vapt-vupt da vida, copiando modelos, lendo, consultando especialistas. As mães que foram amadas quando bebês não têm com o que se preocupar.


EM - Para resumir, a fórmula é o amor.

Raimundo - Lógico. Se a mãe ama o seu bebê, nada do que ela fizer irá prejudica-lo.

EM
Na sua opinião, cuidando de bebês ainda dentro do útero, a gente pode transformar a humanidade?

Raimundo - Temos sim esta oportunidade. Eu não sou tão idealista e ingênuo a ponto de pensar que isso seja fácil.

Mas, na medida em que a humanidade for descobrindo o bebê dentro do útero, ela própria poderá se transformar. Eu que já ganhei o título de protetor da infância, quero mostrar que podemos proteger as crianças muito antes de elas irem para as ruas, preparando as mães grávidas.


Dr. Raimundo Lippi – É Professor Universitário e Psiquiatra




















Fecundação Os primeiros registro da matriz de todos os sentimentos de rejeição ou amor é vivido pelo ser humano, tem sua primeira experiência na FECUNDAÇÃO Por isso é necessário que a gestação seja regada de sentimentos de amor e acolhimento. Esse registro será determinante para que a pessoa apresente em sua vida características e comportamentos para toda sua vida.

terça-feira, 8 de maio de 2018

Traços de Personalidade e Caráter dos líderes





Não podemos deixar de lado a questão de personalidades e caráter na atuação do líder. 
Precisamos ter qualidades para servir de exemplos ao grupo de liderados. 







 Fecundação
Os primeiros registro da matriz de todos os sentimentos de rejeição ou amor é vivido pelo ser humano, tem sua primeira experiência na FECUNDAÇÃO

Por isso é necessário que a gestação seja regada de sentimentos de amor e acolhimento.

Esse registro será determinante para que a pessoa apresente em sua vida características e comportamentos para toda sua vida.

quinta-feira, 3 de maio de 2018

Parábola da demissão da formiga desmotivada









Parábola da demissão da formiga desmotivada:

Havia uma formiga que todos os dias chegava cedo em seu trabalho e fazia tudo com dedicação e excelência. Ela era produtiva e feliz!

Como a formiga era muito dedicada, trabalhava por conta própria. 

Um dia, o gerente marimbondo percebeu que a formiga estava trabalhando sem supervisão e teve um pensamento: “se ela era tão produtiva sem supervisão, imagina então se fosse supervisionada!”

Então, colocou uma barata como sua supervisora. Essa barata era muito experiente e competente, seus relatórios eram impecáveis!

Em sua nova função, a primeira medida que a barata tomou foi padronizar o horário de entrada e saída da formiga. Depois, chamou uma secretária para ajudá-la a montar os relatórios e chamou uma aranha para organizar os documentos e atender o telefone.

O gerente marimbondo se encantou com o trabalho de qualidade realizado pela barata, e também pediu gráficos com assuntos debatidos em reuniões. Para cumprir melhor sua função, a barata contratou uma mosca e comprou mais equipamentos.

A formiga, que antes era produtiva e muito feliz em seu trabalho, começou a se sentir reprimida em meio a tantos papéis, aparelhos e reuniões.

Com toda a evolução daquele departamento, o marimbondo sentiu que era o momento de contratar um gestor para a área onde a formiga trabalhava.

A escolhida para o cargo foi uma cigarra, que muito exigente mandou emperiquitar sua sala.



Não demorou muito para que a nova gestora precisasse de equipamentos pessoais de trabalho e de uma assistente, foi escolhida a pulga que já tinha trabalhado com ela anteriormente. Juntas, elas elaboram uma estratégia de melhorias para o departamento e um controle de orçamento para a área onde a formiga trabalhava, formiga essa que a cada dia ficava mais triste e desmotivada; nem cantar mais, ela cantava!


A gestora cigarra conversou com o gerente marimbondo para lhe mostrar que precisavam investir em uma pesquisa de clima. O marimbondo concordou, mas ao analisar as finanças, percebeu que a unidade onde a formiga trabalhava não estava mais rendendo como antigamente, e por esse motivo, contratou a coruja, que era uma consultora muito reconhecida e famosa, para fazer um diagnóstico da situação.
A coruja trabalhou nesse diagnóstico por três meses, e em seu extenso relatório de conclusão, ela afirmou que tinha muita gente na empresa.

Chegou a hora de demitir alguém da empresa, e adivinha quem foi a escolhida? A formiga, óbvio, porque ela tinha mudado muito de um tempo para cá, andava desmotivada e não conseguia acompanhar o ritmo da empresa.



Moral da história: O gerente, percebendo que o trabalho no setor da formiga era bem-sucedido, foi tomado pela ganância e pensou apenas em aumentar os ganhos, sem valorizar a funcionária que esteve desde o início se esforçando e dando o seu melhor no trabalho. 

Ele criou diversos processos e contratou novos animais, mas se esqueceu do principal: cuidar e investir em quem fez o setor crescer em primeiro lugar. 

A formiga, sentindo-se desmotivada e inibida por tanta novidade, começou a produzir bem menos e logo foi “descartada”, como se fosse o problema.
Isso acontece muitas vezes na vida real. 

Nós criamos muitos relacionamentos e desvalorizamos aquelas pessoas que estão conosco desde o início, pensamos apenas em nosso próprio bem, e assim destruímos muitos de nossos melhores relacionamentos, os mesmos que nos fizeram ir em frente na vida.
Analise a parábola com sabedoria e depois veja se existe alguma “formiga desmotivada” em sua vida, magoada por conta de suas atitudes. Se existir, procure maneiras de melhorar o seu comportamento e valorizar quem realmente contribui para o seu crescimento.














Fecundação Os primeiros registro da matriz de todos os sentimentos de rejeição ou amor é vivido pelo ser humano, tem sua primeira experiência na FECUNDAÇÃO Por isso é necessário que a gestação seja regada de sentimentos de amor e acolhimento. Esse registro será determinante para que a pessoa apresente em sua vida características e comportamentos para toda sua vida.

terça-feira, 1 de maio de 2018

O louvor que Deus rejeita (Is 1:11-14)

https://www.youtube.com/watch?v=vtA-C9YRNVE

Fecundação
Os primeiros registro da matriz de todos os sentimentos de rejeição ou amor é vivido pelo ser humano, tem sua primeira experiência na FECUNDAÇÃO

Por isso é necessário que a gestação seja regada de sentimentos de amor e acolhimento.

Esse registro será determinante para que a pessoa apresente em sua vida características e comportamentos para toda sua vida.

quinta-feira, 26 de abril de 2018

20 de abril de 2018(1)



 Estarei ministrando curso dia 28/04/2018 e 05/05/2018 no curso Ine-RJ.
Rua Evaristo da Veiga, 21 - Centro/RJ.
Próximo Teatro Municipal.
Aguardo todos lá





Fecundação
Os primeiros registro da matriz de todos os sentimentos de rejeição ou amor é vivido pelo ser humano, tem sua primeira experiência na FECUNDAÇÃO

Por isso é necessário que a gestação seja regada de sentimentos de amor e acolhimento.

Esse registro será determinante para que a pessoa apresente em sua vida características e comportamentos para toda sua vida.

terça-feira, 24 de abril de 2018

Cinco Pessoas Que Habitam Em Nós



Fecundação
Os primeiros registro da matriz de todos os sentimentos de rejeição ou amor é vivido pelo ser humano, tem sua primeira experiência na FECUNDAÇÃO

Por isso é necessário que a gestação seja regada de sentimentos de amor e acolhimento.

Esse registro será determinante para que a pessoa apresente em sua vida características e comportamentos para toda sua vida.